Brasília, 22/06/2017 – A Bíblia muitas vezes usa a água como um símbolo de purificação do pecador para lavar os pecados através do batismo. Embora atribuamos conotações positivas a esse simbolismo, devemos reconhecer os perigos que acompanham os corpos naturais de água.

É preferível que os batismos ocorram em um tanque interno, que não esteja sujeito às imprevisibilidades do tempo ou dos perigos potenciais desconhecidos que se encontram nos corpos naturais de água. Visto que não é incomum que batismos ocorram nesses ambientes, é importante nos equiparmos com nosso arsenal de segurança para minimizar os riscos. Então, o que deveríamos considerar ao planejar batismos nesses ambientes?

  1. Realizar uma avaliação de risco antes do batismo – Conferir os arredores e perguntar a si mesmo: Esse corpo de água é de fácil acesso? Há pedras ou buracos dentro da água que poderiam ferir os participantes e/ou fazê-los desequilibrar? Que animais habitam a água; alguns deles são perigosos aos seres humanos? O solo embaixo da água é firme ou poderia potencialmente ceder sob o peso? Há sinais de advertência no entorno da água? Esse corpo de água leva a uma cachoeira próxima?
  2. Informe às autoridades locais de seus planos, se necessário for – Dependendo do local onde se encontra o corpo de água natural, algumas autoridades locais podem exigir notificação a respeito. Talvez tenham requerimentos quanto às atividades que são permitidas na água. Eles podem ter requerimentos de cobertura de Responsabilidade Pública/Geral ou até mesmo prover uma lista de coisas a serem consideradas quanto à saúde e segurança ao realizar a atividade. O benefício real é o conhecimento adquirido das autoridades locais sobre acidentes ocorridos no passado e a forma ideal de evitá-los.
  3. Considere as condições da água pouco antes do batismo – É boa ideia conferir a previsão do tempo no dia do batismo para ver se qualquer condição severa do clima pode ocorrer subitamente. Há possibilidade de turbulência na água? A temperatura da água permite a realização do batismo? Qual é a direção da corrente, e ela é suficientemente forte para puxar os participantes para baixo ou para longe? Se você não tiver informação suficiente ou as condições forem adversas, pode ser melhor postergar o evento.

    Se você não tiver informação suficiente ou as condições forem adversas, pode ser melhor postergar o evento.

     

  4. Prover equipamento de proteção/salvamento – Boias e coletes salva-vidas devem estar disponíveis. O plano deve incluir equipamento de proteção para todos os participantes da cerimônia batismal. O calçado de proteção é o melhor para esse corpo d’água ou seria apropriado não usar nada nos pés? Seria apropriado entrar na água apenas em trajes de banho ou, se estiver frio, os participantes devem usar roupas mais quentes? Tenha em mente que roupas de frio absorvem água e podem representar perigo para um nadador inexperiente que não consiga se manter flutuando. Se a água estiver fria, uma troca de roupas quentes estará disponível para o candidato ao batismo a fim de não usar uma toalha molhada e assim ter a possibilidade de adoecer?
  5. Aliste pessoal pertinente – Assim como em qualquer evento, recursos humanos relevantes apropriados devem ser empregados. Ao fazer os acertos para o batismo, deve-se considerar a média de supervisores para os presentes. Vocês têm salva-vidas treinados em número suficiente (se disponível) ou um número adequado de socorristas treinados para auxiliar em uma emergência?

Estes são apenas alguns pontos a serem considerados no planejamento de seu batismo em águas naturais. O controle de risco é uma das melhores defesas da igreja em nosso arsenal contra ameaças de perdas. A forma como administramos os ativos do Senhor, quer seja edifícios da igreja, escritórios ou os membros da igreja, é essencial para a continuidade de nosso ministério.

Por: Giles Barham
Diretor de Contas
Adventist Risk Management, Inc.