Brasília, 12/02/2015 – Em acampamentos de verão os momentos de recreação são ameaçados por um fator evitável: os afogamentos. Durante o feriado de Carnaval, especialmente no Brasil, muitas famílias fogem das festas típicas e aproveitam esses dias para descansar em meio à natureza. As estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o terceiro país do mundo com maior número de afogamentos: em 2011 foram 6.487 e, no mundo, ocorrem anualmente 371 mil casos de pessoas afogadas. Os adventistas costumam organizar grandes acampamentos no Carnaval, por isso lançaram um material que previne esse e outros tipos de situações desagradáveis.

O material apresenta dicas óbvias, mas que são desprezadas e se tornam fundamentais para evitar acidentes e até mortes. Pais, por exemplo, devem saber que nenhuma crianças pode estar sozinha em uma piscina, rio ou lagoa. Outro aspecto importante ressaltado no material divulgado é que boias de braço infláveis, por exemplo, não substituem coletes salva-vidas. “Há riscos nos acampamentos de verão em relação a pessoas afogadas, intoxicação por alimentos estragados, gente eletrecutada e outros casos mais. Estes fatos muitas vezes poderiam ser diferentes se houvesse prevenção e cuidado com a segurança”, comenta Areli Barbosa, que coordena as atividades dos jovens adventistas em oito países.

O material foi produzido pela corretora de seguros da Igreja Adventista na América do Sul chamada ARM (Adventist Risk Management). [Equipe ASN, Felipe Lemos]