Brasília, 06/06/2014 – Dez dias foi o tempo suficiente para um criminoso monitorar a rotina de sua vítima por meio de postagens em uma rede social. Isso ocorreu na cidade de Ilhota, em Santa Catarina, e levou um garoto de nove anos a se tornar refém de sequestradores durante cinco dias.

Em seu depoimento, Peterson Machado, de 30 anos, afirmou ter planejado o sequestro com base em informações disponibilizadas no Facebook, como, por exemplo, o lugar onde o menino estudava e o trabalho do pai. “Se vocês puxarem lá vão ver como mostra tudo da vida pessoal. Mostra até dentro da casa deles”, justificou.

Atualmente, com a facilidade de acesso a informações pessoais, os criminosos estão atentos aos que inocentemente compartilham fatos de seu dia a dia. Por isso, é muito importante tomar cuidado com a exposição exagerada.

Pense duas vezes antes de fazer check-in nos lugares que frequenta ou onde mora, nas fotos que publica e tenha sempre bom senso e cautela. Converse com os seus filhos sobre os perigos da internet e lembre-se de que medidas simples podem ajudar na sua segurança.

Thayanne Braga