Brasília, 09/12/2013 – O verão está chegando e junto com a estação mais quente do ano vêm as chuvas tropicais – e, por conseqüência, os já conhecidos problemas de enchentes e alagamentos em ruas e avenidas das cidades. O número de acidentes de trânsito tende a aumentar em dias de chuva. E para quem dirigir no meio de um temporal, ou mesmo com a pista molhada, os especialistas recomendam calma, prudência e muito cuidado. Para quem vai viajar no feriado, a previsão do tempo indica possibilidade de chuvas em vários estados.

As recomendações básicas, independente de uma chuva fina ou uma pancada, são diminuir a velocidade, acender o farol, ligar o limpador de pára-brisa, o desembaçador e manter a distância de pelo menos dois carros em relação ao automóvel da sua frente.

“O cuidado tem que ser redobrado, afinal, as condições na chuva são perigosas e traiçoeiras”, afirma o instrutor de pilotagem Cacá Clauset.

“Ainda assim, é pouco para confiar”, diz o instrutor. Afinal, o principal perigo em dias de chuva está sempre camuflado. Trata-se da aquaplanagem, quando o pneu perde contato com o solo e fica sem aderência, sem controle nenhum. “Nessa situação, se o carro não te obedece, só resta rezar”, diz o piloto e instrutor da escola de pilotagem de Interlagos, César Visconti. O efeito ocorre por excesso de água no solo, os pneus estão quase ou carecas e a velocidade é excessiva.

Para evitar um acidente assim, Clauset recomenda “jamais frear bruscamente”. O ideal é desacelerar e deixar que a força da gravidade coloque o carro em contato com o asfalto. Outra dica do instrutor é sempre olhar pelo retrovisor.

“Se o pneu deixar um rastro grosso no asfalto, por uma boa distância, significa que ele não está numa situação perigosa. Agora, se as marcas estão muito próximas ao automóvel ou não existem, infelizmente está perto de um possível desastre”.

“Se todas as recomendações fossem seguidas, não teríamos metade dos acidentes que vemos nos dias de chuva”, explica Visconti. Por isso, vale seguir algumas dicas:

– Acenda o farol baixo. Além de melhorar a visão, o veículo de trás poderá se guiar melhor com as luzes vermelhas e evitar uma colisão. Se estiver em movimento, nunca ligue o pisca alerta. Ele só deve ser acionado quando o carro estiver parado.

– Diminua a velocidade e mantenha uma distância mínima de 8 metros do veículo à sua frente.

– Não freie bruscamente e nem faça manobras perigosas.

– Quando acionar o pára-brisa, use-o com o esguichador. Mantenha a velocidade do limpador de pára-brisa no mesmo nível que o volume de água. As palhetas devem ser trocadas uma vez por ano e o reservatório deve sempre ter água mesclada com detergente neutro ou aditivos.

– Quando os vidros começarem a embaçar, passe um pano limpo por dentro do carro. Jamais use as mãos, pois a gordura natural da pele só piora a situação. Tente deixar os vidros uns dois dedos abertos para criar uma circulação de ar. Ligue o ventilador interno ou o ar-condicionado. O carro deve esfriar por dentro para desembaçar os vidros.

– Se os vidros já estiverem embaçados, o processo é inverso, ligue o ar quente.

Fonte: G1